3 estratégias para a sua carta de crédito contemplada

Dúvida - Bomtempo Finanças Pessoais (9)

Você já contratou um consórcio com o objetivo de fazer uma poupança e depois de contemplado não pretendia comprar nada? Essa é a situação da Ana Paula, leitora do blog, veja a dúvida que ela me enviou.

“Prezado, tenho uma carta de crédito para imóvel no valor de R$60.000,00. Fui sorteada e não pretendo comprar nada. Eu pensei em manter a contemplação e que esse valor seja aplicado (com rendimento da poupança, segundo eles), mas me disseram que se o intuito é guardar eu deveria cancelar a contemplação e pegar no final porque o rendimento da carta é maior que a poupança. Caro, por favor me oriente!

Obrigada
Ana Paula”

Nesse caso, temos algumas possibilidades, o que não pode, é ficar com a carta contemplada tendo o rendimento da Caderneta de Poupança, cerca de 6,5% ao ano. Sugiro 3 opções nesse caso.

Botão - Lista VIP 02

A primeira opção, e a mais obvia, seria identificar um imóvel nesse valor (como um lote) e efetuar a compra utilizando a carta de crédito. Assim você passará a contar com a valorização desse imóvel, que se não for em uma área supervalorizada, tem a tendência de proporcionar um bom ganho após alguns anos.

A segunda opção, um pouco mais viável que deixar rendendo igual a Caderneta de Poupança, seria realmente cancelar a contemplação, como foi sugerido pelo consórcio. Pois o valor da carta será reajustado ao longo do contrato de acordo com o índice inflacionário indexado, provavelmente o IGPM ou INCC. Com isso ao ser contemplado novamente, ou ao encerrar o contrato, você terá uma carta de crédito com o valor corrigido pela inflação.

Mas a terceira possibilidade pode ser a mais rentável de todas. Vender a sua carta de crédito. Isso mesmo, é possível vender a sua carta contemplada transferindo o consórcio para o comprador. Essa é uma ótima alternativa especialmente se você tiver a sorte de ser contemplado nos primeiros anos do consórcio. Vou dar um exemplo prático para ilustrar melhor.

Fiz a simulação do seguinte consórcio:

  • Plano de 150 meses;
  • Carta de Crédito no valor de R$60.000,00;
  • Prestações mensais de R$507,00;
  • Atualização de 10% ao anos (para facilitar as contas);
  • Carta contemplada no valor de R$66.000,00 com parcelas de R$557,70
  • Contemplação no 20º mês do consórcio.

Nessas condições você terá uma carta de crédito contemplada no valor de R$66.000,00 tendo pago o total de R$10.545,60. Você poderá, com a aprovação da administradora do seu consórcio, vender essa carta de crédito e o comprador passa a assumir o pagamento das parcelas restantes.

Encontrei uma fórmula para calcular um valor de referência para a venda da carta de crédito, que é a seguinte: (Fonte: Investimento em Consórcio)

Valor da Venda = [(Valor da Carta / 2) + Valor das Parcelas Pagas] / 2

No caso do exemplo acima:

Valor da Venda = [(66.000 / 2) + 10.545,60] / 2

Valor da Venda = R$21.772,80

O equivale a um ganho de 106,46% do valor investido, um ótimo retorno!

Esse valor da venda é negociável com o comprador, podendo ganhar um pouco menos ou até um pouco mais do que o indicado pela fórmula.

Para comparar esse rendimento, se aplicássemos os valores das parcelas a uma taxa de 1% ao mês, teríamos um rendimento de 9,84% no mesmo período.

Mas se é possível ter um rendimento tão alto com a carta de crédito, o que faz ter compradores para a carta contemplada?

Quem compra uma carta de crédito contemplada é quem está precisando adquirir o mesmo bem do consórcio, nesse casso um imóvel, porém não tem o valor todo necessário, não tem tempo para entrar em um consórcio e aguardar a contemplação e ainda deseja evitar o financiamento, onde ele pagaria muito mais juros.

Essa estratégia só é viável para contemplações com poucas parcelas pagas, a medida que o consórcio avança, essa estratégia passa a ser cada vez menos atrativa. O que classifica essa estratégia como uma estratégia de risco. Exclusivamente no exemplo acima, essa estratégia é viável apenas para contemplações em até 2 anos e meio, após isso já não compensa no atual cenário econômico.

Lembre-se da máxima: “Quanto maior o retorno, maior o risco.”

PS.: Você também tem alguma dúvida sobre Educação Financeira e Investimento? Clique aqui e envie!

PS II.: Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos!

Aproveite para assinar nossa Lista VIP e receba todas as atualizações e dicas especiais diretamente em seu e-mail.

Botão - Lista VIP 022015 - E-book - Tesouro Direto - Aprenda a investir - Banner Fim de Post

Anúncios

12 respostas em “3 estratégias para a sua carta de crédito contemplada

  1. Caro Bomtempo, vim aqui para pedir desculpas pela demora em responder seu comentário lá no me espaço. Correria do trabalho me impediu de atualizá-lo. Conto com sua visita e participação. Muito obrigado.
    Estou conhecendo seu blog agora, muito interessante.
    Abraço!!

  2. Pretendo vender uma cota de imovel de 195.000,00 não contemplada.venc.05/30
    paguei 40 parcelas. Não está comparcelas atrasadas. Pf me oriente.Darcy

    • Boa tarde Darcy! Seja muito bem vinda ao Blog Bomtempo Finanças Pessoais! Tem muitas dicas sobre educação financeira e investimento já publicado, fique a vontade para estudar e tirar suas dúvidas nos comentários sempre que necessário.

      Você adquiriu um consórcio de um imóvel nesse valor porém agora deseja sair do consórcio vendendo a sua participação, seria isso mesmo?

      Nesse caso a primeira coisa a se fazer é verificar a possibilidade de transferir esse consórcio, algumas empresas não permitem a transferência do contrato antes da contemplação.

      Caso exista a possibilidade de transferir o contrato, você deve encontrar um comprador e negociar a transferência, é possível negociar um pequeno ganho sobre as parcelas já pagas, porém dependendo da urgência que você precisa se desfazer desse consórcio, uma desvalorização sobre o que já foi pago também é uma opção (não é das melhores, mas é o que acontece quando temos um bem que não possui liquidez e precisamo vendê-lo com urgência.)

      Abraço e sucesso!

      PS.: Esse blog será inativado em breve, todo o conteúdo já foi direcionado para o novo portal e os novos artigos já estão sendo publicados por lá. Acesse e confira as novidades. http://www.bomtempofp.com

  3. Fui contemplado com uma carta de crédito no valor de 68.000 mil reais, atualmente paguei apenas R$ 10.800 ao todo, será que nessa formula consigo anunciar a venda no valor de pelo menos R$ 20.000 ?

    • Olá Rafael! Seja muito bem vindo ao Blog! Tem muita coisa já publicada por aqui, fique a vontade para estudar e sempre que tiver dúvidas pode perguntar nos comentários ou pelo contato.

      Seguindo a fórmula apresentada no artigo, você chega no valor de venda de R$22.400

      *Valor da Venda = [(Valor da Carta / 2) + Valor das Parcelas Pagas] / 2
      *Valor da Venda = [(68.000/2) + 10.800] / 2 = (34.000 + 10.800) / 2 = 44.800 /2
      *Valor da Venda = R$22.400

      Esse é um ponto de partida para a negociação e venda da carta de crédito. Então é provável que você consiga chegar no valor de R$20.000, que já será um ótimo ganho sobre a carta.

      Abraço e sucesso!

      PS.: Esse blog será inativado em breve, todo o conteúdo já foi direcionado para o novo portal e os novos artigos já estão sendo publicados por lá. Acesse e confira as novidades. http://www.bomtempofp.com

  4. Boa tarde,

    Não tenho nenhum tipo de investimento, e está me sobrando alguns trocados mensais.

    Fui orientado a participar de um consorcio a titulo de investimento e tentar contempla-lo o mais breve possível para que assim, sem pressa, a carta total me proporcione juros interessantes e ao fim do consorcio passado 180 dias possa resgata-lo de forma corrigida.

    Como não sou bom em guardar dinheiro, seria essa a melhor opção para investir ou devo me policiar e colocar apenas na poupança..?

    • Oi Yuri! Seja bem vindo ao blog! Fique a vontade para explorar o conteúdo publicado sobre investimentos e qualquer dúvida é só perguntar nos comentários.

      Como eu disse no texto acima, não recomendo consórcio com o objetivo de poupar.

      Comece com a poupança para você criar uma reserva para emergências e vai estudando sobre outros investimentos como Títulos Públicos.

      Se for o caso pode solicitar ao banco uma aplicação automática para um CDB DI, que possui liquidez diária.

      Um dos motivos que não recomendo o consórcio é devido a falta de liquidez, se precisar de dinheiro para um imprevisto ou mesmo para realizar um sonho menos, você não terá como usar o dinheiro que está pago no consórcio.

      Abraço e sucesso!

      PS.: Esse blog será inativado em breve, todo o conteúdo já foi direcionado para o novo portal e os novos artigos já estão sendo publicados por lá. Acesse e confira as novidades. http://www.bomtempofp.com

  5. Boa tarde, Bomtempo

    Após contemplada, a carta de crédito rende de acordo com a poupança ou isso é estipulado em contrato e é particular de cada administradora?

    É que um amigo (que tem carta de crédito) me falou que a carta dele (R$10.000,00), que já está contemplada, tem rendimento mensal por volta de 1%.

    Gostaria de orientações sobre esse assunto.

    Obrigada

    • Boa tarde Denise! Seja muito bem vinda ao Blog!

      É possível sim que a carta de crédito tenha um rendimento, porém esse rendimento é específico de cada administradora, e acredito que 1% ao mês seja muito.

      Não recomendo carta de crédito contemplada como investimento, pois mesmo que tenha algum rendimento, também existem taxas que comem boa parte do mesmo.

      Aqui no blog tem vários artigos sobre consórcio já publicados, vale a pena a leitura.

      Abraço e sucesso!

      PS.: Esse blog será inativado em breve, todo o conteúdo já foi direcionado para o novo portal e os novos artigos já estão sendo publicados por lá. Acesse e confira as novidades. http://www.bomtempofp.com

  6. Boa noite,

    Tenho um consórcio de carro não contemplado, valor da carta 31.200,00. Já paguei 20.000,00 falta 17.000,00. Seria vantajoso vender?

    • Olá Thelma! Seja muito bem vinda ao Blog! Desculpa a demora em lhe responder.

      Nesse caso normalmente não é vantajoso a venda por dois motivos.

      1º: A carta ainda não está contemplado, então é pouco provável que alguém pague mais do que você pagou para assumir sua dúvida e continuar concorrendo nos sorteios. É mais preferível entrar em um consórcio do zero e correr o risco de ser contemplado logo no início.

      2º: Mesmo se a carta estivesse contemplada, já foram pagas muitas parcelas, o que ao utilizar na fórmula citada no artigo gera um retorno muito baixo, sendo mais vantajoso usufruir da carta para adquirir o bem necessário.

      Abraço e sucesso!

      PS.: Esse blog será inativado em breve, todo o conteúdo já foi direcionado para o novo portal e os novos artigos já estão sendo publicados por lá. Acesse e confira as novidades. http://www.bomtempofp.com

Vamos falar sobre dinheiro? Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s